jusbrasil.com.br
6 de Dezembro de 2021
    Adicione tópicos

    Você trabalha em ambiente barulhento e acha que pode ter perda auditiva?

    Um levantamento feito pela Sociedade Brasileira de Otologia (SOB), mostra que 30% a 35% dos casos de perda auditiva estão relacionadas por causa da exposição excessiva a ruídos constantes, o que também mostra que é uma das causas mais comuns de doenças ocupacionais.

    Felipe Oliveira, Advogado
    Publicado por Felipe Oliveira
    mês passado

    Muito comum em fábricas, indústrias ou siderúrgicas, mas pode acontecer com frequência em outros ambientes, o barulho excessivo durante a jornada de trabalho é o principal motivo que leva um profissional a desenvolver problemas de audição.

    Um levantamento feito pela Sociedade Brasileira de Otologia (SOB), mostra que 30% a 35% dos casos de perda auditiva estão relacionadas por causa da exposição excessiva a ruídos constantes, o que também mostra que é uma das causas mais comuns de doenças ocupacionais.

    O máximo permitido por lei são 85 decibéis, quando o trabalhador pode ficar exposto até 8 horas diárias sem proteção. Para entender melhor, quando o barulho chega até certo nível de decibéis, a conversação já se torna muito difícil. A partir daí, é uma obrigação da empresa fornecer o equipamento de proteção individual (EPI), reduzir o tempo de exposição, de acordo com o volume do barulho, além de fazer com frequência a revisão do EPI, para assegurar que estão aptos para o uso.

    É sempre bom ressaltar que mesmo que a empresa forneça o EPI adequado (Protetor Auricular), não dispensa das responsabilidades legais, como pagamento do adicional de insalubridade.

    E quais são as principais causas de perda auditiva no ambiente de trabalho?

    Ruído excessivo - trabalhadores que tem convivência com equipamentos ou máquinas ligadas que fazem barulho o tempo inteiro, ou algum tipo de estouro dentro da empresa.

    Vibração - os trabalhadores que tem contato com máquinas que transmitem vibração como empilhadeiras, martelo, lixadeira, britadeira, tratores, caminhões, ônibus, entre outras, podem interferir drasticamente na saúde da audição.

    Excesso de calor - lidar diretamente com caldeira e fornos é prejudicial ao funcionamento do sistema auditivo.

    Substâncias químicas - existem alguns agentes químicos como solventes e metais pesados, que podem gerar perdas auditivas com as características de perda auditiva por ruído.

    A perda auditiva afeta o trabalhador nos cinco primeiros anos de atividade, sendo que começa de forma lenta, mas é irreversível. Por isso, é importante que os exames audiométricos sejam feitos regularmente e que o colaborador fique atento aos sintomas, que podem ser:

    · Alterações no sono;

    · Depressão;

    · Dificuldade para identificar a origem do som;

    · Dores de cabeça;

    · Sensação de ouvir zumbidos;

    · Não entender a fala durante as conversas;

    · Tontura e dificuldades no equilíbrio corporal.

    Por isso, quando a perda auditiva é causada devido ao ambiente de trabalho, o trabalhador tem direito a indenização, pois é responsabilidade da empresa garantir a saúde física e psicológica de seus colaboradores. No entanto, para comprovar é necessário um laudo técnico que demonstre a perda auditiva.

    Se você é aposentado, mas sofre com os sintomas citados acima, saiba que você também tem direto a receber indenização devido aos danos irreversíveis causados pelo tempo de serviço prestado. Em casos de dúvidas, procure um advogado especialista em Direito do Trabalho.

    2 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

    Conteúdo excelente. continuar lendo

    Muito interessante! continuar lendo